ATPC de 5 a 9 de novembro de 2012.

Postado por vanessa.waller | Postado em Sem categoria | Postado dia 04-11-2012

29

 Caro(a) Professor(a), você tem até o dia 11 de novembro de 2012 para desenvolver esta atividade. Dúvidas, procure a equipe gestora da U.E. Bom trabalho!

Texto 1- Escola do futuro - Quem vai ensinar - e o quê - aos alunos do século XXI?

Por Caio Barretto Briso, Kleyson Barbosa, Luís Guilherme Barrucho e Sofia Krause

             Uma sala de aula com carteiras enfileiradas diante de um quadro negro. Os alunos, calados, prestam atenção no professor. Memorize esta cena: ela está com os dias contados. A entrada das novas tecnologias digitais na sala de aula criou um paradigma na educação: como tais ferramentas, que os alunos, não raro, já dominam, podem ser aproveitadas por professores que, frequentemente, mal as conhecem? As escolas têm, pela frente, um desafio e uma oportunidade. O desafio: formular um projeto pedagógico que contemple as inovações tecnológicas e promova a interatividade dos alunos. A oportunidade: deixar para trás um modelo de ensino que se tornou obsoleto no século XXI.

            O novo aluno é o responsável por esta mudança. Por ter nascido em um mundo transformado pelas novas tecnologias, ele exige um professor e uma escola que dialoguem com ele, e não apenas depositem informações em sua cabeça. E mais: ele quer ser surpreendido. Tarefa difícil, pois o jovem estudante de hoje encontrou, na internet, uma fonte de informações nunca antes existente. Livros, almanaques e enciclopédias eram as principais ferramentas de pesquisa até o início da década de 90, quando os computadores começaram a chegar às residências do país. Agora, com um clique, ele pode acessar todas as enciclopédias do mundo. O que muda com isso é, em primeiro lugar, o papel do professor.

            "É um momento difícil para o educador, pois o modelo de ensino que ele aprendeu era baseado no poder que ele representava na sala de aula, típico de uma sociedade mais passiva que a de hoje", diz Andrea Ramal, doutora em Educação pela PUC-Rio e diretora executiva da Instructional Design Projetos Educacionais. Mas o novo aluno, segunda Andrea, é diferente: "Ele quer participar, quer fazer suas próprias escolhas. Os professores têm que se reinventar". Para ela, o professor não pode mais ser uma figura autoritária: ele precisa ser capaz de aprender com os educandos e de admitir que não tem todas as respostas.

            As palavras de Andrea encontram eco fora do Brasil. O americano Marc Prensky, um dos principais consultores educacionais dos Estados Unidos e designer de jogos educativos, afirma ser necessária uma nova relação entre professor e aluno, baseada em uma parceria: "O estudante faz aquilo que tem de melhor (como buscar informações e usar as tecnologias para criar algo novo), e o professor, por sua vez, também faz o seu melhor, que é orientar reflexões, avaliar o comprometimento dos alunos e criar um contexto favorável". Por "contexto favorável" entenda-se uma nova pedagogia: algo como deixar que os alunos aprendam por seus próprios caminhos, mas com a orientação do professor.

            Se o papel do educador está em transformação, as escolas também vivem um período de transição. Elas precisam se adequar não só ao novo aluno, mas também à nova formação de seu corpo docente. "A internet tornou o aluno mais livre. Ele pode aprender em qualquer lugar, a qualquer hora. A escola já sabe disso, mas ainda é muito tradicional, pois resiste à mudança inevitável", acredita o espanhol José Manuel Moran, professor da Escola de Comunicação e Artes da USP. Mas para mudar não basta trocar o quadro negro pela lousa digital: é preciso ir além e inovar na forma de ensino, pois, como acredita Moran, a internet e as novas tecnologias são um ponto de partida. Nunca de chegada. Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/conheca-escola-ensino-futuro

 

Texto 2 – RESENHA - SANCHO, J. M.; HERNANDEZ, F. et al. (Org). Tecnologias para transformar a educação. Porto Alegre: Artmed, 2006.

            Como em outras épocas, neste momento, há uma expectativa grande de que as Tecnologias de Informação e Comunicação – TIC – nos trarão soluções rápidas para a melhoria da qualidade na educação. Porém, se a educação dependesse somente de tecnologias, já teríamos achado as soluções para essa melhoria há muito tempo. Acreditamos que a escola, em relação às TIC, precisa estar inserida num projeto de reflexão e ação, utilizando-as de forma significativa, tendo uma visão aberta do mundo contemporâneo, bem como realizando um trabalho de incentivo às mais diversas experiências, pois as diversidades de situações pedagógicas permitem a reelaboração e a reconstrução do processo ensino-aprendizagem.

            A comunidade escolar se depara com três caminhos: repelir as tecnologias e tentar ficar fora do processo; apropriar-se da técnica e transformar a vida em uma corrida atrás do novo; ou apropriar-se dos processos, desenvolvendo habilidades que permitam o controle das tecnologias e de seus efeitos.

            Consideramos a terceira opção como a que melhor viabiliza uma formação intelectual, emocional e corporal do cidadão, que lhe permita criar, planejar e interferir na sociedade. Pensamos na importância de um trabalho pedagógico em que o professor reflita sobre sua ação escolar e efetivamente elabore e operacionalize projetos educacionais com a inserção das tecnologias da informação e da comunicação – TIC – no processo educacional, buscando integrá-las à ação pedagógica na comunidade intra e extra-escolar e explicitá-las claramente nas propostas educativas da escola. [...] Glaucia da Silva Brito - Professora Doutora do Departamento de Comunicação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Paraná. glaucia@ufpr.br

Atividade

 

1. De acordo com os textos acima, os recursos tecnológicos estão disponíveis, o aluno do século XXI já tem contato com esses recursos e precisa de um professor que também esteja disposto a utilizá-los. O tema traz ao professor alguns questionamentos quanto a sua prática (conteúdo/ metodologia/ recurso). Pensando nesse aspecto, partindo para uma proposta sociointeracionista com o uso das novas tecnologias, o que você, enquanto professor(a), propõe ou já pratica para que suas aulas sejam mais atrativas/desafiadoras ao aluno?

 

            

Comentários (29)

  1. Rosemeire disse,

    O mundo de hoje se caracteriza pela dificuldade de conciliar a extensão da informação, as várias fontes de acesso a ela: temos informação demais e dificuldade em escolher quais são significativas para nós e em conseguir integrá-las dentro da nossa mente. As informações, hoje, são menos dependentes do professor, pois a tecnologia nos supre o suficiente, ficando para o professor ajudar o aluno a interpretar os inúmeros dados, relacioná-los e contextualizá-los.
    Para aprendermos bem é preciso relacionar e integrar, usando para isso todas as tecnologias: telemáticas, audiovisuais, textuais, orais, musicais, lúdicas corporais. O professor precisa saber explorar adequadamente as várias opções metodológicas para que a comunicação se transforme em conhecimento. É importante que cada professor encontre sua maneira de sentir-se bem, comunicar-se bem, ensinar bem, ajudar os alunos a aprender melhor.

  2. Gilberto disse,

    Durante muito tempo alimentei um sonho de ser professor. Me imaginava sendo funcionário do governo com uma carga horária de oito horas diárias, de segunda-feira a sexta-feira. Dessas oito horas, seis eu estaria com alunos e duas me dedicaria a pesquisar e preparar material próprio para ministrar minhas aulas e corrigir atividades produzidas pelos alunos. Me via recebendo um salário digno e cumprindo meu dever por “amor”. Alguns anos já se passaram e não foi possível realizar esse sonho. Hoje algumas coisas estão favoráveis como a disponibilidade de tecnologia, o que facilita bastante a vida do professor na preparação dos conteúdos, bem como dos alunos na pesquisa para trabalhos etc.
    Faço uso da tecnologia basicamente para pesquisar atividades contextualizadas e utilizá-las na sala de aula. Acabo de me escrever no “Programa M@tmídias – Matemática com Multimídias” e espero fazer uso do que aprender nesse curso. Por outro lado vejo que há um grande equívoco quando se pensa que o nosso aluno está familiarizado com a tecnologia e tem acesso a computador e internet. Mesmo os poucos que tem essa oportunidade a minoria a utiliza para outros fins que não seja bate-papo. Digo ainda mais que essa tecnologia tem criado, entre os jovens, uma nova linguagem não aceita na “forma culta” de nossa língua. Assim concluo que não estamos tão perto de uma escola pública utilizando os grandes recursos da tecnologia, até porque levará um tempo para termos um corpo docente preparado para isso.

  3. Eny Arantes disse,

    As mudanças no mundo vêm ocorrendo rapidamente na medida em que a busca pelo novo é o principal objetivo. A informática é uma delas, e na sua trajetória vem gradativamente ingressando em várias áreas do conhecimento sendo indispensável o uso dos seus métodos para desenvolvimento de qualquer atividade. Na educação, tem desempenhado papel importante, pois tem definido novos parâmetros no estudo e se tornado um diferencial para quem lida diretamente neste campo.
    O processo de implantação da informática e o seu uso em sala de aula é um desafio, pois significa uma mudança na atitude e na metodologia do professor.
    Uma das formas possíveis de desenvolver as atividades escolares de maneira que privilegie a construção do conhecimento pelos alunos de uma forma ativa é através da realização de projetos de trabalho que sejam relevantes aos alunos. O desenvolvimento desses projetos pode ser enriquecido com o uso dos recursos da informática que ao serem introduzidos como uma ferramenta pedagógica contribui para que os alunos além de aprenderem a utilizá-la, possam realizar vários tipos de pesquisas, testarem os recursos disponibilizados no computador e propor soluções das mais variadas formas.
    Para que o uso das tecnologias aliadas à aprendizagem seja eficaz é preciso utilizar os recursos disponíveis e variados de forma a integrar a prática do professor com sua vivência e experiência sobre o assunto tratado, pois assim estará apto a transmitir de forma categórica, eficiente e técnica aquilo a que se propõe a fazer.

  4. Luciana Apª portela disse,

    ATPC 5 a 11 de novembro de 2012
    Como diz o ditado ” está tudo muito bom, está tudo muito legal” no que diz respeito às novas tecnologias no contexto educacional, porém, apesar de todo acesso à informação que os alunos do século XXl têm, algo me intriga: o fato de que tenho a impressão de que a cada dia eles sabem menos, ou estudam menos. Hoje eles querem conseguir “notas” e não aprendizagem, cultura.
    Apesar da variedade de instrumentos para se adquirir conhecimentos, vocabulário; a linguagem usada pelos jovens “agoniza” e a ortografia é “assassinada” a todo momento, tanto na escrita como na oralidadea; isso sem falar na coerência e coesão textual.
    A educação evoluiu, graças a DEUS, contudo, a mentalidade dos nossos alunos e a responsabilidade, o comprometimento deles e, principalmente, de seus responsáveis regrediu tanto que chega a dar medo. Sinceramente não sei para onde caminha esta humanidade.
    Eu seria leviana se dissesse que discordo das afirmações contidas nos textos acima. É lógico que já me beneficio dessa tecnologia pesquisando novas formas de apresentar um conteúdo aos meus alunos, solicitando pesquisas, preparando novos meios de avaliação.
    A rapidez com que se consegue um resultado é espantosa e a presença do professor orientando e conduzindo isso é impressindível.
    Como afirma a Professora Glaucia da Silva Brito , ” pretendo apropriar-me dos processos, desenvolvendo habilidades que permitam o controle das tecnologias e de seus efeitos, como a que melhor viabiliza uma formação intelectual, emocional e corporal do cidadão, que lhe permita criar, planejar e interferir na sociedade. Pensamos na importância de um trabalho pedagógico em que o professor reflita sobre sua ação escolar e efetivamente elabore e operacionalize projetos educacionais com a inserção das tecnologias da informação e da comunicação – TIC – no processo educacional, buscando integrá-las à ação pedagógica na comunidade intra e extra-escolar e explicitá-las claramente nas propostas educativas da escola. [...].”

  5. Naira disse,

    Como citado nos textos acima, vivemos em uma sociedade caracterizada pelo uso das Novas Tecnologias. Nossos alunos já nascem em meio a computadores, celulares, e também em meio a uma transformação na forma das pessoas adquirirem conhecimento e até mesmo se comunicarem, e por isso, as escolas não podem ignorar esta realidade tecnológica em permanente transformação. É preciso se adequar a esse novo ambiente, é preciso também que o professor esteja preparado para capacitar seus alunos, como professora busco sempre me atualizar e buscar inserir o uso das novas tecnologias para que minhas aulas sejam mais contextualizadas, dinâmicas e interessantes, sem esquecer de uma constante avaliação do processo e a introdução de modificações conforme as necessidades levantadas.

  6. Creusa Aparecida Pereira disse,

    O assunto atual diz respeito às novas tecnologias no meio educacional. Principalmente da interação entre professor x alunos x tecnologia.A partir daí surgem as questões relacionadas a resistência de certos professores frente a este novo desafio.E com razão,pois atualmente a maioria dos alunos detém um conhecimento muito além daquele que muitos professores possuem a respeito dessas novas tecnologias.
    Como sabemos que atualmente não podemos desprezar o uso dos equipamentos tecnológicos existentes, sob risco de estarmos criando um ambiente monótono, desestimulador, que não ajudará em nada no desenvolvimento da aprendizagem, o ideal seria procurar dar subsídios para que este professor possa ter uma formação continuada, tornando-se capaz de levar para seu planejamento atividades que possam contribuir para o crescimento intelectual, fortalecendo assim a qualidade do processo educacional.
    Na minha prática pedagógica procuro inserir aos poucos, o uso das novas tecnologias, em forma de pesquisas sobre os temas desenvolvidos em sala de aula, o que possibilita aos alunos irem além, por si mesmos, ampliando seus saberes com autonomia.

  7. Neusa Maria disse,

    O mundo vem mudando a cada dia e junto a humanidade muda também, os alunos e os professores também têm que mudar e se encaixar no mundo da tecnologia para poder trabalhar com a atualidade que é a tecnologia. Ela tem seu lado bom, mas se não souber trabalhar e orientar os alunos acaba sendo prejudicial pois, eles gostam de tudo fácil e a coisa não é bem assim o mundo fora da escola e completamente diferente se não souber ler e escrever e calcular de maneira correta acaba ficando para traz.
    Uma das formas possíveis de desenvolver as atividades escolares de maneira que privilegie a construção do conhecimento pelos alunos de uma forma ativa é através da realização de projetos de trabalho que sejam relevantes aos alunos e fazer com que eles usem as tecnologia que a sua escola tem para oferecer de maneira criativa envolvendo cada disciplina.

  8. Rosana Maria Carneiro Pinheiro disse,

    Vejo as novas tecnologias como mais um dos elementos que podem contribuir para melhoria de algumas atividades nas nossas salas de aula. Eu utilizo sempre que necessário, promovendo pesquisas sobre novos assuntos a ser discutido em sala, o debate fica mais rico de informação, e os alunos conseguem participar mais e quebra um pouco aquele modelo de escola tradicional, onde o aluno só escuta, por não ter conhecimento para participar.
    Para utilizar as novas tecnologias em sala de aula não é preciso que o professor se torne um técnico, um especialista em informática, mas que seja um usuário alerta, crítico e seletivo, que saiba o que está disponível e faça escolhas. Tudo dependerá de como ele planejar e dirigir as atividades e para isso será necessário habilidade didática e de relação com o saber.

  9. MILTON disse,

    É importante e necessário o uso de Novas Tecnologias no ensino atual para atrair o interesse dos alunos em sala de aula. Os docentes necessitam e cobram a oportunidade, e se possível em ATPC, de uma preparaçao e formação continuada sobre essas Novas Tecnologias. Depois acompanhados e cobrados sobre esse novo processo pedagógico de ensino, que se faz necessário atualmente. Procuro inserir aos poucos o uso dessas Novas Tecnologias em forma de pesquisas na elaboração de Trabalhos sobre temas desenvolvidos nas aulas.

  10. Maria Isabel de Souza disse,

    Atualmente a educação está sofrendo inúmeras mudanças, dentro desse novo panorama, é importante, sem sombra de dúvida, a questão da prática educativa, da postura do professor, do seu posicionamento frente à tecnologia digital em uso na educação,uma vez que, o aprendiz é quem irá desenvolver seu processo de aprendizagem, mas este não é somente individual, e sim, social, o que leva a reforçar a importância da figura do professor, como mediador, para que ocorra a aprendizagem. Assim sendo, como professora procuro estabelecer vínculos com os meus alunos, conhecendo seus interesses, sabendo o que o aluno já sabe, o que não sabe e o que ele gostaria de saber. Motivá-los a fazer parte da proposta pedagógica, colocando-os a par sobre o que será abordado e convidando-o a contribuir através de pesquisas, reportagens, textos que circulam na internet.

  11. Maria Cristina de Souza disse,

    Após a leitura dos textos, observei que como professora, preciso continuar sendo mediadora no processo educativo, e para isso, a utilização da ferramenta e da metodologia, sem uma proposta coerente, não garante a eficácia na construção do conhecimento. O professor estará apenas reproduzindo os modelos tradicionais. O avanço tecnológico consiste na relação estabelecida entre o professor e o uso da ferramenta. O acesso a Internet é uma ferramenta que pode facilitar na inovação de propostas pedagógicas. Nesse novo paradigma o professor também necessita de atualização permanente, buscar sempre informações, saber o que está acontecendo, estar consciente da relação entre os diferentes saberes, ser um professor pesquisador. Enfim, na minha prática procuro utilizar Internet que é um recurso dinâmico, atraente, atualizado, de fácil acesso, que permite a transmissão de som e imagem em tempo real, bem como, o acesso a bibliotecas do mundo todo e com a Internet, aprende-se a ler, buscar informações, pesquisar, comparar dados…

  12. valmir disse,

    A partir das leituras dos textos e da proposta colocada, concluo que é de suma importância uma readaptação da visão do educador em relação ao processo ensino-aprendizagem e um suporte cada vez maior e eficaz das instituições de ensino sobre a necessidade de levar aos professores a oportunidade de uma formação continuada a respeito do uso dessas novas mídias que sem dúvida, são as ferramentas do futuro.
    Vejo como grande o desafio dessa geração de docentes. A grande maioria não está preparada para o uso contínuo em sala para o uso eficaz de toda a tecnologia existe e o aluno por sua vez, ainda não criaram uma maturidade para um uso mais racional e eficaz dos facilitadores dessas novas tecnologias, usando por exemplo sites que trazem trabalhos de pesquisa prontos, fontes não confiáveis, usando na verdade, boa parte do seu tempo apenas para sites de redes sociais, como demonstram pesquisas que comprovam que o tempo gasto dos alunos brasileiros são cada vez menores em atividades ligadas a tarefas escolares. É um grande desafio e toda a equipe escolar precisa realmente estar disposta para um diálogo franco para os desafios que estão por vir.

  13. MONIQUE disse,

    Eu enquanto professora estou tendo um maior contato com as novas tecnologias de forma ativa para com os alunos este ano. Esta sendo um desafio pois os mesmos tem um conhecimento muito maior que a gente, mais isso também é muito prazeroso, pois existe uma troca.
    Acredito que o TIC pode nos ajudar muito mais de uma forma mais devagar afinal toda mudança tem que ser aos poucos.

  14. Terezinha Alves disse,

    As escolas estão passando por uma grande transformação quanto aos seus métodos de ensino, principalmente nos recursos utilizados no ensino-aprendizagem. Em épocas passadas, todo conhecimento se centralizava na figura do professor, que era o único detentor do saber, e dele dependia toda a produção, processamento e transmissão do saber. Seus recursos didáticos limitavam-se ao uso do quadro negro, o giz e do livro, o espaço para a produção do conhecimento também era restrito a sala de aula A educação tem pela frente novos desafios apresentados por um mundo em constantes avanços tecnológicos. Diante dessa nova realidade precisamos repensar e inovar a forma de ensinar.. Cada bom profissional do ensino terá no seu computador uma base de dados com textos, esquemas, planos de aula, pequenos vídeos que poderá projetar quando achar conveniente. Todos sabemos a força e o impacto que as imagens têm. É costume referir que uma imagem vale mais que mil palavras. E de fato elas poderão ser um bom ponto de partida para se poder atingir os processos cognitivos mais exigentes. Os alunos cresceram rodeados de imagens e os seus cérebros estão moldados nesse contexto. Sendo assim a escola terá que ir ao encontro dessa condição para alcançar os seus objetivos mais ambiciosos.
    Resta saber se todos os professores estão preparados, se as políticas educacionais querem esses avanços, se todas as escolas têm condições em relação ao espaço físico e as tecnologias necessárias.

  15. Roberta Silva Oshiro disse,

    Diante do avanço tecnológico temos que buscar informações e melhoramento das nossas metodologias interligando-as ao uso dos recursos tecnológicos, para que nossos alunos tenham a oportunidade de estarem integradas as novas formas de aprendizagem que estão disponíveis no nosso contexto social atualmente. Acredito que todo conhecimento adquirido será em algum momento utilizado. Mas para isso é necessário mudanças, reflexões e tomadas de atitude, de todos nós enquanto educadores. Sendo assim é necessário aproveitarmos horários disponibilizados pela nossa escola para aperfeiçoamento do uso dos equipamentos que temos disponíveis (computadores, data show, sala de vídeo e a lousa digital) para fomentar nossas aulas tornando assim o conhecimento mais acessível, dinâmico e interessante para os nossos alunos.
    Meu objetivo é que meu aluno tenha sucesso profissional e pessoal, tenha oportunidades de trabalho e boas relações sociais. Por tanto venho desenvolvendo os conteúdos do ensino fundamental de ciências sempre que possível utilizando os vários recursos metodológicos disponíveis na nossa escola com o uso da informática, sala de vídeo com filmes e documentários que abordam os temas estudados, participando dos horários disponibilizados para orientação do uso da lousa digital e orientando as pesquisas e trabalhos dos alunos para não mais serem apenas digitalizados mais que possam ser finalizados em vídeos elaborados pela própria criatividade deles. Pois acredito que desta forma proponha novos desafios e oportunidade para que os alunos possam buscar os conhecimentos utilizando o avanço tecnológico e a inclusão digital, presentes na nossa sociedade atual.

  16. Claudia Patricia disse,

    A tecnologia chegou às escolas, e como elas uma grande oportunidade de mudanças. Mudança sim, de rotina, de práticas (boas prática), da procura por algo a mais do que já estamos acostumados. Os alunos vão além do esperado (esperam sempre mais). Eu como professora busco o conhecimento e a aprendizagem em todos os momentos, com pesquisas, elaborando aulas significativas, trazendo o conteúdo a ser elaborado, para o dia a dia do aluno. Estimulando o uso das tecnologias não somente como um meio de comunicação, mas muito além da comunicação, estimulando a busca pelo conhecimento, não se esquecendo de orienta-los sobre a busca de forma coerente e responsável, orientando sobre sites de pesquisas e como o uso consciente das tecnologias pode ajudar na participação dos alunos em sala de aula.

  17. neiva disse,

    Ao ler os textos e a proposta de trabalho percebo a necessidade de nós docentes trabalharmos não só com livros didáticos, mas também com tecnologia que hoje é um grande aliado a educação. Pois não podemos deixar que o nosso aluno fique de fora da atualidade.
    Então nós devemos nos preparar mais para esse desafio.
    Pois eu como todos os professores não tenho muito tempo, pois trabalho em duas instituições de ensino, a privada e a pública. Mas na medida do possível, eu me atualizo lendo artigos científico da minha área de trabalho, jornais, revistas técnicas e de meio ambiente.
    Mas ainda tenho dificuldade de algumas linguagens de informática como: excel etc
    E para trabalhar com os alunos, incentivo os mesmos com pesquisas de conteúdo, atualidades.
    Mas o retorno não é muito, pois alguns não possuem internet, muitos trabalham o dia todo.
    Mas eu tenho me esforçado para acompanhar a evolução da educação. e penso que o educador nunca pode parar de estudar, de aprender, pesquisar e melhorar a cada dia.

  18. Roseli Pasquoto disse,

    Os professores exercem função primordial na interferência e na abordagem de qual tecnologia utillizar e na forma como seu uso poderá contribuir para que a atividade realizada seja produtiva. Quando o professor se encontra habilitado para a utilização dos recursos tecnológicos, poderá contribuir significativamente para o desenvolvimento e a aplicação de atividades que envolvam muito mais dedicação, concentração e retenção do conhecimento por parte do aluno.

  19. Ana Maria Floriano disse,

    O assunto tecnologia é interessante. Fico fascinada com tanto avanço e promessa para a educação. Muitos até acreditam que a internet e computadores vão solucionar os problemas da educação.
    Os adolescentes usam o notebook, celular para brincar, escrever errado. Ler e propagar besteiras e muitas vezes arrumar confusão.
    As pesquisas úteis estão reservadas somente para as pessoas conscientes de seus atos como nos velhos tempos.
    Cada vez mais solidão e depressão porque máquinas não têm sentimentos, diálogos e é seletiva.
    A tecnologia bem analisada e usada pode causar a exclusão social e não progresso esperado.

  20. Ingrid disse,

    A geração de nossos alunos nasceu cercada por computadores e celulares, acostumada a facilidade de acesso à informação. Como professores nos cabe orientá-los na análise e interpretação do grande volume de informações a que estamos exposto, buscando sempre atualização e o uso das novas tecnologias para contextualizar as aulas.

  21. Adilson disse,

    Continua sendo um desafio em transpor a ponte entre a necessidade e a realidade na utilização de novas tecnologias. Ainda existem dificuldades no acesso em massa, porém já há avanços . Nas minhas aulas tenho aplicado tarefas escolares com sites indicados (especialmente os do caderno do aluno), assim como pesquisas em casa, visitas no horário de aula no acessa escola com temas pertinentes.

  22. Vanessa disse,

    Ao pensarmos em nossa realidade de hoje, percebemos que a tecnologia faz parte de nosso cotidiano e está presente em quade todos os momentos. O alunos de hoje já estão acostumados com essa realidade e portanto, uma maneira de estimular nossos alunos e levando essa tecnologia para a sala de aula. É claro que isso não acontece repentinamente, é preciso preparo do professor e também da escola. Uma forma de trabalhar com as TIC é pedir para os alunos fazerem pesquisa na internet, assistir videos através da internet e outras inúmeras atividades que podem ser realizadas desde que tenham algum objetivo e sejam significativas para nossos alunos.

  23. Daliana A. Lopes Vieira Lima disse,

    O uso das tecnologias está sendo uma revolução no âmbito educacional. Com a criação da sala de informática no espaço escolar, ficou mais prazeroso para os educados enriquecerem seu aprendizado. Para mim quanto professora alfabetizadora tenho utilizado esse recurso para preparar aulas diversificadas ( caça-palavras, cruzadinhas, etc..). Levo meus alunos frequentemente à sala de informática onde eles podem ter contato com jogos de estratégia, leitura e escrita, eles adoram. Enriqueço minhas aulas com músicas e vídeos trabalhando depois a produção e a escrita com meus alunos. Hoje em dia não saberia viver longe desses recursos.

  24. Maria Aparecida disse,

    Realmente, nós professores somos desafiados em nossa profissão trabalhando numa sala de aula, por exemplo, com 40 alunos considerados heterogêneos e tendo que atingir a todos de maneira positiva.

    Diante do exposto nos textos, sabemos que as mudanças devme existir também nos métodos de ensino e em todo sistema escolar para acompanhar as mudanças que vem acontecendo através das novas tecnologias.

    Como professora, eu acompanho a proposta curricular do ensino do estado de São Paulo. Nas minhas aulas, uso os recursos como sala de informatica, jornais, livros didáticos e paradidáticos fornecidos de acordo com as escolas em que trabalho.
    Os métodos que uso para ensinar são diversos : para explicar qualquer conteúdo preciso contextualizá-lo
    para atingir o aluno de acordo com a sua vivência. Uso também atividades lúdicas (tiradas da internet) para incentivá-los na aprendizagem dos conteúdos no seu-dia-a-dia.

  25. Gilmara disse,

    Na minha opinião, o professor tem um papel multifuncional na sala de aula, mesmo com as tecnologias mais avançadas, ele será sempre o mediador, penso que todo professor tem que ser um pouco de cada coisa: psicólogo, mãe e incentivador. Hoje as coisas estão difíceis perante ao comportamento dos alunos, falta interesse em aprender, incentivo dos pais, problemas de família e outros pontos negativos a mais, acredito que a tecnologia ajuda muito, mas o aprendizado é um todo, cabe ao professor ser inovador, trazer novidades, sair da rotina, fazer com que os alunos participem dando opiniões, trazendo assuntos e projetos com temas bons e que interessem a eles, seria muito bom se tivéssemos alguns computadores nas salas de aula, onde pudéssemos na hora que surgisse um assunto ou uma curiosidade, que já pudéssemos pesquisar na hora sem ter que sair para a sala de informática, que muitas vezes está ocupada ou temos que ir com hora marcada, quem sabe logo teremos.

  26. Ana Isabel disse,

    Eu enquanto professora, faço pesquisas e procuro atualizar as regras dos esportes, algumas são modificadas anualmente.
    Hoje, tem vários sites que são fantásticos, acabam fazendo comparações sobre saúde X exercício físico X estética, vídeos esclarecedores que de uma forma profissional, se torna atrativo para crianças e adolescentes.
    Recentemente, o jogador Ronaldo tem feito atividades físicas com apoio profissional e outro que controla a alimentação. É esclarecedor e está disponível nas redes.
    Estimulo e coloco tópicos para pesquisa dos alunos, assim eles conseguem saber o que é importante e como procurar, tirando a essência do texto.
    A tecnologia a favor da educação, não tem como voltar ou estacionar, usar novas ferramentas que estimulem o aprendizado.

  27. Clélia Machado disse,

    Faze-lo trazer coisas do seu mundo atual para podermos trabalhar em todo sentido e no final até fazer o feed-back.

  28. Lucimara disse,

    A tecnologia é muito boa para ser utilizada na educação, porém os alunos tem que ser reeducados para que esta ferramenta possa ter um bom proveito fazendo com que não provoque constrangimento no meio que ele vive pois a escola é um extensão de sua casa.
    Os professores sempre serão importantes para que possam orientar os alunos como devem fazer suas pesquisas de forma que o aluno consiga interpretar e aprender e não somente colar e imprimir.

  29. Rúbia disse,

    Quando falamos em uso das tecnologias em sala de aula,logo pensamos no computador, no entanto, não se pode esquecer da necessidade da interação como atuação participativa do aluno, com ou sem os recursos tecnológicos.
    Penso que o que faz a diferença é como o professor utilizará esta tecnologia, aproveitando seu potencial pra desenvolver novos projetos educacionais, ou seja, a diferença não está em usar ou não os recursos tecnológicos, mas no conhecimento de suas possibilidades, porque nenhum recurso, por si só, é motivador, depende de como a proposta é feita e se está adequada ao conteúdo, aos alunos e aos objetivos propostos

Comentar